Newsletter
Artigos

Valores compartilhados pelo cooperativismo

Cooperação e Parceria. Substantivos femininos que segundo o dicionário têm o mesmo significado, que é a reunião de indivíduos para alcançar um objetivo comum, colaborando entre si para que os resultados sejam atingidos, seja em uma companhia ou na sociedade. E são justamente essas palavras que norteiam o cooperativismo, um instrumento de organização econômica da sociedade criado no século 19 na Europa e que caracteriza-se pela ajuda mútua entre os seus semelhantes, focados em propósitos que visam o desenvolvimento de todos. 

O cooperativismo de crédito - criado para oferecer soluções financeiras conforme a necessidade dos associados - é uma importante ferramenta para estimular o desenvolvimento econômico e social das regiões onde as cooperativas estão presentes. Isso porque, as cooperativas de crédito utilizam suas fontes de captação para financiar os associados, mantendo os recursos nas comunidades onde eles foram gerados. 

Na América Latina – especialmente no Brasil – a história do cooperativismo está intimamente ligada à história do Sicredi, com a chegada do padre suíço Theodor Amstad à cidade de Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul. Em 1902, ele liderou uma organização de pequenos agricultores no Sul do país usando os conceitos de cooperação, solidariedade, ética e justiça, que culminaram na fundação da primeira cooperativa de crédito do Brasil, e sendo considerada a origem do Sicredi. E neste dia 28 de dezembro, quando se comemora o Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito, ressaltamos a força que o cooperativismo tem para transformar vidas e sociedades. Para isso, lembramos uma de suas memoráveis frases, que traduz a essência do cooperativismo: “se uma grande pedra se atravessa no caminho e 20 pessoas querem passar, não o conseguirão se um por um a procuram remover individualmente. Mas, se as 20 pessoas se unem e fazem força ao mesmo tempo, sob a orientação de uma delas, conseguirão solidariamente afastar a pedra e abrir o caminho para todos”.

E hoje, 115 anos depois de sua criação, o Sicredi contabiliza mais de 3,6 milhões de associados no país, com atuação em 21 estados brasileiros. São 116 cooperativas de crédito filiadas, presentes em 1.185 cidades, sendo que em 197 delas é a única instituição financeira. O cooperativismo de crédito tem atraído cada vez mais pessoas, interessadas em resgatar valores que a sociedade perdeu ao longo da história moderna. Seus princípios (adesão voluntária e livre, autonomia e independência, interesse pela comunidade, gestão democrática, educação, formação e informação, participação econômica e intercooperação) são cada vez mais apreciados e atraem aqueles que perseguem o crescimento conjunto. 

E qual seria o segredo do sucesso deste modelo financeiro? Podemos dizer que o ingrediente secreto é a prática do valor compartilhado. Um termo que o mundo corporativo contemporâneo introduziu em seus discursos para mostrar que a união entre as empresas e seus parceiros gera resultados para ambas as partes e também para a sociedade, promovendo o desenvolvimento de todos. O que os grandes grupos empresariais e multinacionais descobriram agora já faz parte do cotidiano do Sicredi há mais de um século. 

E o que viria a ser valor compartilhado? O valor compartilhado acontece quando se fomenta a atividade econômica de um empreendedor, que incrementa seus negócios, cria empregos e movimenta a economia, o que gera valor para as partes interessadas, e consequentemente, para a sociedade. Entre os exemplos que podemos citar está o fato de uma indústria oferecer recursos para aumentar a produtividade de um pequeno produtor rural e acompanhar a produção, uma vez que este agricultor é seu fornecedor. Ao receber as melhores matérias-primas, a empresa terá melhores produtos e os resultados serão maiores, e ela compartilhará esses ganhos, inclusive monetários, com seu fornecedor. Outro exemplo é quando uma empresa investe na formação de jovens, cuja mão de obra será aproveitada no futuro por ela ou por outras companhias. 

Neste contexto, podemos seguramente dizer que o valor compartilhado é uma das essências do Sicredi, praticado desde a sua criação. Como apoiador do desenvolvimento local, das pessoas e dos negócios por ela administrados, a instituição financeira cooperativa não vai parar por aí. Temos ousados planos e estratégias para aumentar o número de associados no Brasil, levando soluções financeiras para pessoas físicas, empresas e produtores rurais, buscando uma evolução sólida, segura e estável dos negócios, pois estamos falando dos negócios dos nossos associados e das nossas cooperativas, das quais eles são sócios. Fazendo juntos, somos mais fortes e fazemos a diferença para as pessoas e para a comunidade em que vivemos!

João Carlos Spenthof

João Carlos Spenthof é presidente da Central Sicredi MT/PA/RO