Newsletter
Notícias

Coleta seletiva em Bertioga é realizada por cooperativa

19/06/2017

Bertioga é a única cidade da Baixada Santista que realiza a coleta seletiva através de uma cooperativa de recicláveis, a Coopersubert. O convênio entre a prefeitura e a cooperativa foi firmado em 2016. Até 2015, quem realizava o serviço era a Terracom. A média de material enviado para a reciclagem até então era em torno de nove toneladas por mês. Depois que a cooperativa assumiu, passou a reciclar 60 toneladas/mês.

O contrato com a Terracom tinha custo de R$ 38 mil por mês. Com a cooperativa o valor é de R$ 24 mil mensais. A parceria já permitiu o aumento do número de cooperados, que passou de nove para 21, com salários entre R$ 1.000,00 e R$ 1.200,00 por mês.

Os números provam que a iniciativa dá certo, porém, das nove cidades da Baixada Santista, apenas Bertioga deu as mãos para uma cooperativa­.

Para Cloves Ferreira dos Santos, presidente da Coopersubert, a ajuda do Poder Público foi fundamental para que a cooperativa conseguisse assumir o serviço. “Foi na gestão do Orlandini que as coisas começaram a dar certo. O secretário de Meio Ambiente nos ajudou a montar o projeto e a regularizar a documentação jurídica. Na época, a gente não sabia como fazer isso. Sem essa visão, não seria possível fechar o contrato” explica Santos.

Atualmente, a Cooperativa de Triagem de Sucata União de Bertioga se localiza no Centro de Beneficiamento e Gerenciamento de Resíduos Sólidos – ao lado do transbordo do lixo orgânico. A área foi cedida pela Administração.

A maior parte da mão-de-obra por lá é feminina. Cloves diz que as mulheres são mais ágeis e detalhistas para separar o material.

Rotina

De segunda a sábado, o caminhão da cooperativa passa duas vezes pelos bairros da cidade para recolher os recicláveis. As quartas, um caminhão de apoio da prefeitura também deixa na cooperativa o que retirou das ruas.

Porém, de acordo com a Secretária de Meio Ambiente e de Serviços Urbanos, há planos de repassar em definitivo o veículo para a cooperativa ampliar a coleta seletiva no ­município.

Em caso de grandes quantidades,  a cooperativa faz a retirada do material através de agendamento. O interessado deve entrar em contato pelo telefone: (13) ­99761-4229.

Apoio

Mas, mesmo com o amparo da prefeitura, ainda falta o apoio da população. “Falta ­informação. Tem pessoas que não sabem como funciona a coleta seletiva. As escolas deveriam trabalhar a educação ­ambiental com os alunos e a mídia também deveria dar mais atenção para o assunto”, declara Santos.  

Em relação aos equipamentos, a cooperativa conta com duas prensas e uma esteira, mas de acordo com os cooperados, o trabalho ganharia agilidade com a compra de mais uma empilhadeira e prensa.

Diário do Litoral - Foto: Rodrigo Montaldi/DL