Newsletter

Notícias

Colômbia tem cooperativa de ex-combatentes das FARC

07/08/2017

Economias Sociais do Comúm (Ecomúm) foi apresentada publicamente como a primeira cooperativa composta por 37 integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), depois do acordo de paz firmado em Havana, Cuba, em 24 de novembro de 2016, e que deu por terminado o confronto entre o estado e as FARC.

Um dos pontos existentes no acordo é a reinserção dos combatentes na sociedade, por meio de cooperativas de trabalho e serviços nas regiões aonde estava localizada as FARC, sendo a Ecomúm a primeira destas experiências, cujos associados passarão por 40 horas de formação em economia social, e que foi registrada na Câmara de Comércio de Bogotá e agora aguardam a formalização da entidade por parte da Superintendência de Economia Solidária.

Este é o primeiro passo na constituição de empresas sociais, e espera-se que a Ecomúm se torne uma confederação de cooperativas, uma organização de terceiro nível e conseguir gerar entidades com os 7 mil membros da FARC, por meio de cooperativas de crédito, produção, agrícola e industrial.

No entanto, estas novas cooperativas não podem se envolver em qualquer atividade econômica internacionalmente, pois são proibidas de exportar e importar e também aquelas dedicadas ao turismo. Inicialmente estarão localizadas em 14 municípios aonde estão os membros das FARC.

Redação EasyCOOP com ACI Américas