Newsletter
Notícias

Feiras da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão têm datas definidas para 2019

15/04/2019

As Feiras da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritecs) já têm calendário de atividades definido para este ano. Serão três feiras, que tem a função de incrementar a economia dos agricultores no interior do Maranhão.

A Agritec é uma realização do Governo do Estado, por meio do Sistema de Agricultura Familiar, o Sistema SAF, formado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma/MA).

O evento é realizado por meio de parceria com os movimentos sociais, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Realizada desde 2015, a Agritec consolidou-se como um dos maiores eventos do setor da agricultura familiar, envolvendo e mobilizando várias Secretarias de Estado e outros órgãos estaduais e setores municipais na prestação de serviços à população.

As três feiras de 2019 serão no Território Sertão Maranhense, no município de Presidente Dutra (dia 7 a dia 9 de agosto); Território Lençóis Maranhenses – Barreirinhas (dia 16 a dia 18 de outubro); e Território Alto Turi – Santa Luzia do Paruá (dia 27 a dia 29 de novembro).

Voltada para a socialização de tecnologias simples aos agricultores familiares do Maranhão, a Agritec tem o objetivo de contribuir com a melhoria da produção e renda dos pequenos produtores, além de movimentar a economia regional e local.

De 2015 a 2018, foram realizadas 17 Agritecs em 17 municípios. A Feira, que é territorial, oportuniza a comercialização de alimentos produzidos por agricultores atendidos pelo Sistema SAF, exposição de artesanato e produtos de municípios dos territórios, além de exposição de pequenos animais e demonstração de tecnologias simples no espaço tecnológico.

Somando-se todas as edições, mais de 30 mil pessoas foram capacitadas. Possibilitou a movimentação de R$ 1.810.509,95 milhão em comercialização. As Agritecs abrem espaço à contratação financeira de R$ 25.470.530,69 milhões para agricultores familiares dos territórios que buscam financiamento rural.

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, explica que, por meio das Agritecs, centenas de agricultores têm a oportunidade de conhecer uma variedade de temas e serviços que no dia a dia não tem facilidade de acesso. Desta forma, as feiras levam dignidade à população.

“A Agritec é uma política que veio para ficar e leva conhecimento ao agricultor e desenvolvimento do setor rural, facilitando o acesso às tecnologias de baixo custo, gerando renda para o agricultor familiar do estado”, explicou Júlio César Mendonça.

O evento proporciona aos participantes uma vasta programação de cursos e oficinas para os pequenos trabalhadores rurais, atendimentos, emissão de documentos pessoais e notas fiscais, Cadastro Ambiental Rural, entrega de títulos de terra, acesso ao crédito rural e outros serviços demandados pelo município sede da feira.

A presidenta da Agerp/MA, Loroana Santana, destacou que a Agritec tem a função de auxiliar o agricultor e a agricultora familiar no plantio, criação e acesso a crédito e as políticas públicas.

“A Agritec também é um espaço de transferência de tecnologia em que o trabalhador rural aprende novos conhecimentos e pode propagá-los por sua comunidade. É importante que o Estado esteja junto à agricultora e ao agricultor familiar, abrindo novas perspectivas e reforçando as potencialidades de cada região”, ressaltou Loroana Santana.

Para o presidente do Iterma/MA, Raimundo Lídio, a Agritec abre oportunidades para levar ao homem do campo conhecimento dos seus direitos, a forma como proceder para trabalhar com a regularização fundiária e como adquirir crédito da reforma agrária.

“Por meio do Iterma, nas Agritecs, obtemos o conhecimento das mais diversas situações dos trabalhadores do campo para que por meio destes possamos gerar respostas, buscar soluções de problemas de regularização e até mesmo de conflitos em áreas que não temos conhecimento. Além de ser um grande incentivo para podermos mostrar todo o trabalho que pode ser realizado e também obter respostas das comunidades”, afirmou Raimundo Lídio.

 

Governo do Maranhão