Cooperativas de recicláveis de Londrina podem se unir em central

Quatro cooperativas de coletores de lixo existentes hoje em Londrina devem se reunir em uma central, em busca de uma maior profissionalização e aumento de renda. Duas reuniões já foram realizadas com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização que, no futuro, espera substituir os contratos individuais por apenas um, diretamente com a central.


O presidente da CMTU, Carlos Alberto Geirinhas, informou que o modelo não traria modificações às áreas de atuação de cada cooperativa, mas otimizaria a venda dos resíduos. Segundo informações da rádio Paiquerê AM, um estatuto também seria aprovado para gerir a atuação do setor em Londrina.


"É uma oportunidade que as cooperativas têm de se fortalecerem na profissionalização dos cooperarados. Eles vão com certeza trabalhar de uma forma sistêmica, vão portanto ter maior quantidade de reciclados e por consequência uma renda muito maior. O fato também de terem verticalizado esse processo, elas vão conseguir vender de uma forma mais adequada à indústria transformadora, evitando assim o atravessador", disse.


Atualmente, a CMTU tem contrato com apenas duas cooperativas: a Cooper Região e a Cooperoeste. Nos próximos dias, outras duas pode ganhar serviços do município, em uma tentativa de dividir o trabalho igualmente pelos grupos existentes em Londrina.
O Diário.com
comments powered by Disqus