Newsletter
Artigos

Mais cooperativas e com força feminina

Onde existe uma boa cooperativa bem liderada dentro dos 7 princípios essenciais, floresce a prosperidade:

  • adesão livre
  • gestão democrática
  • participação econômica
  • autonomia e independência
  • educação, formação e informação
  • intercooperação
  • interesse pela comunidade.

Quatro líderes das maiores cooperativas do Brasil participaram do evento “Top Coopers”, realizado pela Mundo Coo: DilvoGrolli, Coopavel; Fernando Degobbi, Coopercitrus; Jorge Possato Teixeira, Veiling Holambra; e Neivor Canton, Aurora Alimentos.

Os líderes concordaram que o governo deveria convocar o setor cooperativista do país para um projeto de mitigação da pobreza e da miséria. No agronegócio, o IBGE conta cerca de 3 milhões de pequenos agricultores familiares que representam apenas 4,5% de todo valor bruto da produção agropecuária do país vivendo na miséria rural. Da mesma forma o índice de perda de qualidade de vida IPQD, no período da pandemia revelou que as famílias rurais são as que mais perderam qualidade de vida comparada.

Por outro lado, dentro do sistema cooperativista, que reúne mais de 1 milhão de famílias agrícolas, o setor responde por cerca de 54% de toda produção agropecuária do país. E onde tem uma boa cooperativa o IDH - Índice de Desenvolvimento Humano da cidade é melhor.

Os quatro lideres concordam que onde existe predominância de pequenas propriedades será necessário levar educação e cultura do cooperativismo.

O sistema já conta com as organizações estaduais e também com o Sescoop. A OCB - Organização das Cooperativas Brasileiras realiza um trabalho constante neste sentido também. Na Bahia a OCEB, tem em Cergio Tecchio e seus dirigentes com ótimos exemplos de ações, e o novo comitê de mulheres cooperativistas.

Eu tenho um sonho, o de ver uma intercooperação global das cooperativas do mundo atuando reunidas para mitigar o que a FAO escreve no seu último relatório, revelando cerca de 4 bilhões de seres humanos em risco de segurança alimentar saudável, caso haja decréscimo da renda per capita no planeta. E além disso mais de 800 milhões de pessoas na zona da fome.

Com as cooperativas ocorre a velha sabedoria bíblica: “não dar o peixe e sim ensinar a pescar“.

E que o comitê de mulheres cooperativistas da Bahia nos ajude a transformar o sonho em realidade: mitigar fome, pobreza e miséria e fazer o PIB crescer com dignidade para todos.

 

Fonte: A Tarde Agro

José Luiz Tejon

Dirige o Núcleo de Estudos de Agronegócio da ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing. Mestrado em Arte e Cultura pela Universidade Mackenzie, Doutorando em Ciências da Educação. Especialização em Agribusiness na Harvard Business School, e Marketing na Pace University – Estados Unidos. Comentarista da Rede de Radio ESTADÃO ESPN, com a coluna DESVENDANDO O AGRONEGÓCIO. Prof. de Pós Graduação da FGV – São Paulo.