Newsletter
Artigos

Cooperativas provam que atitudes simples movem o mundo

No último sábado (6 de julho) foi comemorado o Dia Internacional do Cooperativismo. A cada ano que passa, as cooperativas capixabas se fortalecem e deixam claro o seu impacto positivo no estado. Por meio da sua atuação, elas movimentam a economia, promovem o desenvolvimento local e geram emprego, renda e mais oportunidades, resultados que, por si só, já são admiráveis. 

Mas desde muito cedo – na verdade, desde o seu surgimento – o cooperativismo entendeu que o seu papel não se limitava ao campo econômico. Esse modelo de fazer negócio baseado na cooperação percebeu que, tão importante quanto obter bons números, era garantir que esses resultados impactassem, de fato, a vida das pessoas positivamente. 

Se esse modo de enxergar a sua atuação nas comunidades foi inovadora e pioneira, a forma como as cooperativas fizeram isso se tornar realidade não precisou de uma grande disrupção. Pelo contrário: elas visualizaram nas atitudes simples a possibilidade de transformar realidades e construir um mundo melhor para todos

Essa característica, que veio desde os primórdios do cooperativismo moderno, ainda no século XIX, foi se fortalecendo ao longo dos anos. Em 1995, essa postura se transformou em princípio (o sétimo do cooperativismo), confirmando de vez o compromisso das cooperativas com a agenda social. 

No dia a dia, essa preocupação se desdobra em forma de programas, projetos e ações, pontuais ou contínuos, com foco socioambiental que são desenvolvidos nas comunidades, promovendo o bem-estar e gerando um impacto ainda maior na vida da população. Para isso, não foi preciso grandes mudanças, mas entender a realidade local e como seria possível contribuir para melhorá-la. 

No Brasil, essas iniciativas integram uma grande rede de solidariedade chamada Dia de Cooperar (Dia C). No Espírito Santo, somente em 2023, mais de 93 mil pessoas foram beneficiadas por ações do Dia C promovidas pelas cooperativas capixabas, que contou com o apoio de 4,8 mil voluntários.

Além disso, essas ações também estão vinculadas à agenda de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Isso garante que o cooperativismo esteja conectado às demandas globais, contribuindo com o alcance de metas ousadas, porém impreteríveis, como a erradicação da pobreza mundial até 2030.

O movimento cooperativista tem se apresentado como um exemplo para outros modelos de negócio ao mostrar que é possível ter empresas saudáveis e com resultados de excelência distribuindo melhor a renda e promovendo também o desenvolvimento social.  Ele tem provado, na prática, que a adoção de atitudes simples, a partir de um olhar mais humano, promovem uma transformação verdadeira.

Por isso, na celebração do Dia Internacional do Cooperativismo, o desejo é que a atuação das cooperativas possa seguir se fortalecendo e tendo, como resposta, um retorno ainda maior para a sociedade. Afinal, quando o cooperativismo avança, todos ganham. E o nosso intuito é não deixar ninguém para trás.

Carlos André Santos de Oliveira

diretor-executivo do Sistema OCB/ES