Newsletter
Notícias

Cooperativas mirins do Espírito Santo realizam assembleias gerais e elegem novas diretorias

30/04/2021

As cooperativas mirins do Espírito Santo realizaram, no último mês, as suas Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) a fim de prestar contas referentes ao exercício de 2020 e eleger as novas diretorias para a próxima gestão. Em adaptação ao cenário de pandemia, todas as assembleias foram realizadas em formato digital.

Confira, a seguir, como foram as assembleias da Cooperativa Mirim da Cooperativa Educacional de Linhares (Coopemcel), da Cooperativa Mirim de Santa Maria de Jetibá (Cooperjetibá) e da Cooperativa Mirim de São Gabriel da Palha (Coop-União). Na sequência, veja quais foram as impressões de lideranças de cooperativas capixabas que acompanharam os eventos.

COOPEMCEL

A Coopemcel realizou, às 15 horas do último dia 29 de março, a sua Assembleia Geral Ordinária (AGO). Organizado de forma totalmente virtual, o encontro contou com a participação de 55 pessoas, das quais 46 eram alunos cooperados.

Na AGO foram aprovadas as finanças, a destinação das sobras e decididos quais os investimentos que serão feitos na cooperativa mirim durante a próxima gestão. Na ocasião, também foram eleitas a nova presidência, o Conselho Administrativo e o Conselho Fiscal da Coopemcel.

Ao final da reunião, a nova presidente da cooperativa mirim, Letícia Pignaton Leite, apresentou o plano de trabalho a ser executado em 2021, cuja proposta foi aprovada pelos membros da assembleia. Segundo ela, as expectativas para a nova gestão são positivas.

“Agradeço o convite que me foi feito para ser a presidente da Coopemcel em 2021. As minhas expectativas para a diretoria desse ano são boas. Imagino que vamos fazer um ótimo trabalho ao longo dele e espero que possamos fazer muitas ações presencialmente, se possível”, disse.

Mesmo com a pandemia, a Coopemcel não parou as suas atividades. O ex-presidente Arthur França conta que a cooperativa mirim se adaptou bem ao ambiente virtual. Reuniões, palestras e até mesmo a venda do objeto de aprendizagem – a palha italiana - passaram a ser feitos de forma on-line, segundo ele. Arthur ainda elenca os principais aprendizados e lembranças de sua experiência enquanto presidente da Coopemcel.

“Foi uma experiência única para mim, e as memórias que tenho dela são para a vida toda. Entre as minhas lembranças estão a solidariedade, a união, o trabalho em equipe, a responsabilidade, a educação financeira e a oportunidade de participar da diretoria de uma cooperativa. Esses são momentos que guardarei comigo para sempre”, enfatizou.

O professor orientador da Coopemcel, Vinicius Santi, responsável por supervisionar e orientar o trabalho dos jovens cooperados, também descreve a sua vivência na cooperativa mirim, e complementa a sua fala com elogios ao trabalho desenvolvido pelos cooperados.

“Estar à frente do projeto como professor orientador é um grande privilégio. Sempre digo que aprendo muito mais com os meninos do que eles comigo. Vê-los como protagonistas desse processo, por meio da tomada de decisões, da articulação para o desenvolvimento de projetos e da organização de assembleias, é extremamente gratificante. Apesar da pandemia, o momento atual está sendo de grande aprendizado para os cooperados, pois exigiu que eles saíssem da zona de conforto”, contou.

Conheça a nova gestão da Coopemcel:

 

Diretoria Executiva:

Presidente: Letícia Pignaton Leite

Vice-Presidente: Rômulo Guimarães Arivabene

 

Conselho Administrativo:

1ª Secretária: Beatriz Bonfá da Vitória

2ª Secretária: Alana Donadia Simon

1º Tesoureiro: João Vitor Cortes Gazel

2º Tesoureiro: Ricardo Maciel Del Pupo

 

Conselho Fiscal Efetivo:

Mateus Ribeiro Boninsenha

João Pedro Corrente Correa

Murillo Bustamante Ramos

 

Conselho Fiscal Suplente:

Luiza Soares Guerra Santos

Isadora Rosa Garoze

 

Diretorias de Produção, Comercialização e Divulgação e Cultura:

Diretor de Produção: Miguel Menon Fereguette

Diretor de Comercialização: Matheus Fantinelli

Diretora de Divulgação e Cultura: Maria Luiza Gonçalves da Vitória

 

COOPERJETIBÁ

A Assembleia Geral Ordinária (AGO) de 2021 da Cooperjetibá foi realizada no dia 31 de março, com início às 14 horas. Ao todo, 20 cooperados participaram do encontro virtual.

A professora coordenadora, Lucienne Miertschink, fala sobre a importância da participação dos jovens cooperados na assembleia e dos conhecimentos práticos que eles adquirem ao organizá-las.

“Todos os preparativos, desde a montagem do edital e do convite da AGO até a escolha do local para a sua realização, formação das chapas e eleições, são um grande aprendizado para os cooperados, principalmente para os membros da diretoria. A organização financeira e a prestação de contas os ensinam a lidar com o dinheiro, e o processo eleitoral os faz entender mais sobre o processo democrático”, explica.

A nova presidente eleita, Júllia Velten Betzel, relata o que espera da nova gestão da Cooperjetibá e menciona ações sustentáveis, capacitações e comunicação como eixos estratégicos. Cooperados e comunidade são públicos que pretendem ser beneficiados.

“Em 2021, a Cooperjetibá terá como objetivo explorar mais ideias sobre a reciclagem e materiais sustentáveis. Também esperamos cumprir nossas metas do plano de trabalho, realizar cursos e alcançar uma maior interação com o nosso público. Acredito que os novos projetos que estão por vir serão ótimos tanto para a Cooperjetibá e os cooperados quanto para a nossa comunidade”, ressalta.

Os aprendizados adquiridos pela ex-presidente da cooperativa mirim, Lavínia Simon Jacob, são diversos. Ela garante que, daqui para frente, o movimento e a filosofia cooperativistas continuarão a fazer parte da sua vida.

“Aprendizados ligados à liderança, finanças, trabalho em equipe, solidariedade, responsabilidade social, além das pessoas que conheci, ficarão eternizados. Mas, acima de tudo, vou levar a filosofia cooperativista comigo, pois o privilégio de ver o mundo através dela me torna uma pessoa, profissional e líder melhor. O cooperativismo continuará permanecendo em minhas veias”, afirma.

Conheça a nova gestão da Cooperjetibá:

 

Diretoria Executiva:

Presidente: Júlia Velten Betzel

Vice-Presidente: Richard Aigner Jacob

 

Conselho Administrativo:

1ª Secretária: Natália Cristina Pêgo

2ª Secretária: Sophia Pereira das Neves

1ª Tesoureira: Maria Emília M. Ramos

2º Tesoureiro: João Guilherme M. Jacob

 

Conselho Fiscal:

Ana Carla Rogge Porfírio

Anny Ohnezorge Falke

Hálison Otávio V. Gonçalvez

Lucas Wofgram Kurt

Paulo Henrique Ronque

Rofdolfo D. Marquardt

 

Diretorias de Produção, Comercialização e Divulgação e Cultura:

Diretor de Produção: Letícia V. Dobruns

Diretor de Comercialização: Lorenzo H. Marquardt

Diretor de Divulgação e Cultura: Laura B. Moreira

 

COOP-UNIÃO

A Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Coop-União ocorreu no dia 31 de março de 2021, com início às 18h30min e de maneira digital. Houve convocação única com a participação de 24 cooperados, além de outros convidados.

Na ocasião, foi eleita a nova gestão da cooperativa mirim, incluindo a Diretoria Executiva, os Conselhos Fiscal e Administrativo e as demais diretorias. Os participantes também aprovaram o plano de trabalho da nova gestão e a prestação de contas da gestão anterior.

Orgulho é a palavra que resume o que a professora orientadora da Coop-União, Melina Maciel de Assis, sentiu ao assistir, pela primeira vez, a uma assembleia da cooperativa mirim. Ela acredita que os pais e responsáveis pelos jovens e as autoridades presentes na AGO tiveram a mesma impressão positiva.

“Essa foi a primeira assembleia da Cooperjetibá que acompanhei, e tudo ocorreu conforme o planejado. Para mim, a atuação dos cooperados durante a assembleia demonstrou autonomia, confiança e responsabilidade por parte de cada integrante. Isso me deu muito orgulho, e acredito que também encheu de orgulho os pais dos cooperados e as autoridades que acompanharam a assembleia”, relata.

A nova presidente eleita da Coop-União, Ana Clara Seródio Cetto Rangel, está otimista com os trabalhos que serão implementados pela nova gestão. Segundo ela, as lideranças são comprometidas com as atividades da cooperativa mirim, e a pandemia não impedirá a execução das atividades previstas.

“Eu estou com expectativas muito altas para este ano. A formação da diretoria está muito boa, e todos são muito dedicados e dispostos a ajudar em tudo na cooperativa. Nossos planos são muito legais. Tenho certeza de que, apesar da pandemia, vamos conseguir aprender muito e fazer um bom trabalho”, comenta.

A ex-presidente da Cooperjetibá, Esther Teodoro Piske, elenca os benefícios que a cooperativa mirim lhe proporcionou graças às experiências acumuladas em uma função de liderança no projeto.

“Agradeço a oportunidade que eu tive de liderar a Coop-União.  A solidariedade, a união, o trabalho em grupo, a organização e o saber ouvir as pessoas foram os principais aprendizados que eu obtive com a cooperativa, e sei que os levarei para o resto da minha vida”, reconhece.

Conheça a nova gestão da Coop-União

 

Diretoria Executiva:

Presidente: Ana Clara Seródio Cetto Rangel

Vice-Presidente: João Pedro Wandermurem Arpini

 

Conselho Administrativo:

1ª Secretária: Fabrizia Barbosa Freire

2 ª Secretária: Nicole Dias Leite Gonçalves

1ª Tesoureira: Mariah Pessoa Duarte

2ª Tesoureira: Luisa Felipini Colombi

 

Conselho Fiscal Efetivo:

Maria Clara Forechi

Daniel Pessi Montovanelli

Lucas Alves Batianello

 

Conselho Fiscal Suplente:

Marcio Zanotelli Filho

Gabriel Dalcin Thaumaturgo

 

Diretorias de Produção, Comercialização e Divulgação e Cultura:

Diretor de Produção: Ana Clara Arpini de Vargas

Diretor de Comercialização: Matheus Pessin Vieira

Diretor de Divulgação e Cultura: Esther Teodoro Piske

 

DIRIGENTES COOPERATIVISTAS RELATAM BOAS IMPRESSÕES

Lideranças de cooperativas capixabas que acompanharam as Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) das cooperativas mirins de 2021 relatam impressões positivas sobre a organização dos eventos pelas crianças e adolescentes cooperadas.

O presidente da Cooperativa Agrária dos Cafeicultores de São Gabriel (Cooabriel), Luiz Carlos Bastianello, acompanhou a AGO da Coop-União e ficou impressionado com a performance dos jovens cooperados durante a reunião.

“Foi algo diferenciado. Percebi que as crianças e adolescentes que compõem a cooperativa tem uma desenvoltura muito interessante e um pensamento já voltado para o cooperativismo. Foi muito bacana e acredito que precisamos estimular cada vez mais a formação de jovens cooperativistas”, alega.

Quem ficou igualmente impressionado com a desenvoltura dos cooperados mirins nas AGOs foi o presidente da Cooperativa dos Caminhoneiros de São Gabriel da Palha (Coopcam), Advaldo Advaldo Antônio Zottele, que também acompanhou a assembleia da Coop-União. Ele parabenizou o desempenho dos alunos.

“Notei como a realização dela foi bem-feita do início ao fim. Os trâmites de votação e apresentação dos itens pautados no edital de convocação transcorreram conforme deveriam. Todos estão de parabéns. Eles deram uma aula sobre como realizar uma assembleia virtual”, admitiu.

O diretor Administrativo e Comercial da Cooperativa Agropecuária Centro Serrana (Coopeavi) e pai da ex-presidente da Cooperjetibá, Ederdson Jacob, avalia que as cooperativas mirins são essenciais para garantir o futuro do cooperativismo. Jacob é testemunha dos efeitos positivos que o programa teve sobre a sua filha.

“O Programa Cooperativa Mirim é uma iniciativa extremamente relevante para a perenidade do sistema cooperativista à medida que forma futuras lideranças.  E em relação à minha filha, pude observar o desenvolvimento de várias habilidades, entre elas a capacidade de trabalhar em equipe, a liderança e a oratória”, comenta.

COMPROMISSO COM O FUTURO E COM AS COMUNIDADES

O apoio e fomento ao Programa Cooperativa Mirim é um meio eficaz de se construir uma sociedade melhor para todos. Por isso, há a necessidade acompanhar anualmente os resultados obtidos pelas cooperativas mirins e estabelecer metas que lhes permitam crescer. É o que sugere o presidente do Sicoob Centro-Serrano, Arno Kerckchoff.

"A inserção de jovens e crianças no cooperativismo ajuda a fomentar a prática do conceito da união como forma sustentável para se construir uma sociedade melhor e mais justa, por isso a necessidade de se apoiar as cooperativas mirins e de se inteirar de seus resultados a cada exercício. Isso é muito importante para visualizarmos as metas já alcançadas e as oportunidades existentes", diz Kerckchoff.

Muito além de ensinar crianças e adolescentes a gerirem negócios, as cooperativas mirins despertam o sentimento de empatia dos jovens cooperados pela comunidade onde atuam, segundo a supervisora de Responsabilidade Social do Sicoob ES, Sandra Martins de Oliveira.

“Participar dessa experiência enriquecedora, que é o Programa Cooperativa Mirim, propõe aos alunos atenção aos valores de cooperação e solidariedade em experiências que incluem convivência na comunidade educativa. A ideia é que o convívio e os processos de ensino oportunizem aos alunos agirem como protagonistas na comunidade onde estão inseridos”, explica”, afirma.

SOBRE AS COOPERATIVAS MIRINS

O Programa Cooperativa Mirim existe desde 2018 e é resultado de uma parceria entre o Sistema OCB/ES e o Sicoob ES. Ele oferece aos alunos das cooperativas educacionais e outras instituições de ensino a oportunidade de desenvolverem atividades educativas, sociais e culturais complementares ao ensino ofertado nas salas de aula.

Os jovens cooperados coordenam todas as atividades inerentes à cooperativa sob a supervisão de um professor orientador. Através de objetos de aprendizagem, como a produção de materiais e alimentos artesanais, jovens e adolescentes vivenciam o cooperativismo na prática. 

Ao fazer parte de uma cooperativa mirim, a criança ou adolescente entra em contato com diversas áreas do conhecimento. Os cooperados aprendem a lidar com as finanças e o processo democrático, trabalham em equipe e elaboram estratégias de produção e comercialização para a cooperativa sem perder de vista o seu papel social nas comunidades onde estão inseridas.

 

Sistema OCB/ES - Síntia Ott