Newsletter
Notícias

Senadores defendem acesso das cooperativas de crédito a todos os fundos constitucionais

19/05/2021

O Plenário do Senado Federal aprovou, no dia 18/5, o parecer do senador Irajá Abreu (TO) à Medida Provisória 1016/2021, que trata da renegociação extraordinária de débitos no âmbito dos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte (FNO), do Nordeste (FNE) e do Centro-Oeste (FCO).

O senador Irajá Abreu (TO), pretendia acatar a emenda 178 sugerida pelo senador Carlos Fávaro (MT), a fim de assegurar o repasse de 10% de todos os fundos para as cooperativas de crédito, inclusive o FNE e FNO.

O senador Carlos Fávaro (MT), autor da emenda, ressaltou em Plenário que o objetivo da emenda era democratizar o uso dos recursos dos fundos constitucionais e criticou a reserva de mercado pelo Banco do Nordeste em um mundo globalizado. Lembrou que, quando vice-governador, participou de reuniões do Sudeco e implorava ao Banco do Brasil (administrador do FCO) repassar recursos para as cooperativas e para o Basa, mas na prática o banco administrador não repassava e sobravam apenas migalhas.

O senador Jayme Campos (MT) também interviu criticando a gestão dos recursos do FCO pelo Banco do Brasil. Fez um apelo para a formatação da distribuição dos recursos, para que possam ser democratizados, a fim de que as cooperativas de crédito passem a operar de forma mais eficiente, sobretudo de forma mais presente nas comunidades mato-grossenses, visto que em todas as regiões do Estado de Mato Grosso as cooperativas de crédito estão presentes.

Entretanto, o senador Fernando Bezerra Coelho (PE) exigiu que o relator revisse o relatório e não acatasse a emenda 178, pois não admitiria a retirada de recursos do Banco do Nordeste, o que abalaria toda a estrutura financeira do Banco do Nordeste. O senador Carlos Fávaro retirou a emenda para viabilizar a votação da matéria, mas ressaltou que é importante trazer competitividade para que os fundos possam chegar em quem precisa.

Sistema OCB