Newsletter
Notícias

Por meio de cooperativa Araraquara cria app próprio de transporte na cidade

01/02/2022

A grande reclamação dos motoristas de aplicativos é o ganho baixo no valor das corridas e com os altos custos para a manutenção de um veículo se torna às vezes inviável trabalhar dessa forma ou ter mais de oito horas por dia.

Pensando nisso a Prefeitura de Araraquara (a 277 km de São Paulo, com 256 mil habitantes) que tem como prefeito Edinho Silva (PT), criou um aplicativo de transporte próprio, o Bibi Mob. A administração pública ajudou na formação da cooperativa que administra o app e apoio na divulgação. A plataforma já conta com 200 motoristas e mais de 7 mil usuários cadastrados.

A diferença do Bibi Mob em relação aos demais aplicativos é o repasse do valor da corrida para o motorista. No app de Araraquara os motoristas ficam com 95% do valor e os outros 5% são para a manutenção do aplicativo.

Araraquara tem um programa de apoio ao cooperativismo chamado Coopera Araraquara, como falou Camila Capacle, coordenadora de Trabalho, Economia Criativa e Solidária.

“Assim como em todas as regiões, sabíamos dos diversos problemas que têm afetado os motoristas de aplicativos, como o preço dos combustíveis e a baixa remuneração. Aproveitando o mote do Coopera Araraquara, decidimos chamar esses motoristas para que eles montassem uma cooperativa”, disse.

A ideia começou a ser desenvolvida em novembro de 2020. Foram cursos, capacitações e conversas até chegar o momento de criar a Cooperativa de Transporte de Araraquara (Coomappa), que escolheu a franquia Bibi Mob.

Dificuldades

Os motoristas de aplicativos de Araraquara já sentem a diferença de usar o Bibi Mob, um exemplo é a presidente da cooperativa, Kátia Anello, que é motorista há quatro anos, diz que já recebeu 49% do valor de uma corrida em outras plataformas, mas com o Bibi Mob a situação mudou para melhor.

“Agora é possível cumprir metas. Seja de quilometragem, ou de valor, em um tempo menor do que com os outros aplicativos. Outra questão: o índice de cancelamento de corrida é quase zero, e agora só acontece quando é realmente necessário suspender a viagem”, afirma.

A reportagem do UOL pediu para a cooperativa fazer uma comparação dos valores de ganho dos motoristas. Confira um exemplo com uma viagem de 4 quilômetros que custa R$ 10 para o passageiro:

 

  • No Uber, de 30% a 40% ficam com o aplicativo (de R$ 3 a R$ 4).Para o motorista, de R$ 6 a R$ 7.

  • Na 99, cerca de 30% do valor da corrida fica com o aplicativo (R$ 3). O motorista recebe R$ 7.

  • No Bibi Mob, 5% ficam com a cooperativa (R$ 0,50). O motorista ganha R$ 9,50.

 

Com a cooperativa em que todos participam da decisão e descobre a grande vantagem em trabalhar no Bibi Mob.

O motorista Cléber Barbosa, 41, estava desanimado com os demais apps e viu sua renda despencar e a jornada de trabalho aumentar.

Ao conhecer o Bibi ficou impressionado como ele mesmo diz:

“Fiquei impressionado quando as primeiras reuniões aconteceram. Poder ganhar 95% do valor da corrida era algo que nunca tinha nem sonhado.”

Após iniciar o uso do Bibi Mob, Cléber decidiu aposentar os demais aplicativos.

“Sinto que sou mais valorizado. A corrida que eu faço dá para cobrir os custos e ainda ter um lucro. Valer a pena”, complementa.

Redação EasyCOOP com informações do portal UOL